sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Vai vendo: Um dos candidatos a sucessor do papa é a favor da criminalização da homossexualidade

Vai vendo: Um dos candidatos a sucessor do papa é a favor da criminalização da homossexualidade

Peter Turkson - cardeal é a favor da criminalização da homossexualidade /Foto: Reprodução
Um dos nomes mais fortes cotados para a sucessão do Papa Bento XVI é Peter Turkson, Cardeal de Gana, que poderia se tornar o primeiro papa negro e africano da história. Mas tem um detalhe no meio da história — suas declarações infelizes a respeito da criminalização da homossexualidade em Uganda, um projeto de lei que tramita no Poder Legislativo do país. “A intensidade da reação (à homossexualidade) é provavelmente compatível com a tradição”, disse ele ao site National Catholic Register no ano passado, tentando justificar a insanidade de prender e matar gays e lésbicas na África.
Turkson ainda criticou a atitude de Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, de pedir que o continente africano acabasse com a criminalização da homossexualidade. “Quando você está falando sobre o que é chamado de ‘estilo de vida alternativa’, são estes os direitos humanos? Ele [Ban Ki-moon] precisa reconhecer que há uma sutil distinção entre moralidade e direitos humanos, e é isso que precisa ser esclarecido”, disse o cardeal.

1 comentários:

gato disse...

Olá,

Fico me perguntando se a notícia é verdadeira. Fiz uma busca a respeito no portal "National Catholic Register", mencionado no texto como originário da matéria, mas não encontrei nada. Também não há nada em sites como o da 'Folha De S. Paulo' ou do 'Estadão'. No Google, só se encontra a reprodução do mesmo texto que vemos aqui em blogs e outros sites institucionais, mas não em sites de notícias.

O blog poderia enviar uma fonte segura da notícia, como o link da entrevista dada ao "National Catholic Register" ou, ao menos, uma data específica em que isso se deu? Se não há fonte segura, desculpem, mas não se pode considerar a notícia como séria. Ela mais parece invenção das alas mais conservadoras da sociedade, que não suportariam ver um papa negro.

Att.
Rogério Muraro
rogeriomuraro@yahoo.com.br